RM - Facebook Revista Magnum 131 online Especial 61 ONLINE Revista 129 nas online Revista Magnum 130 online Todas edições-apresentação-demo Assine Magnum REVISTA 139 BANCAS

É com prazer que apresentamos a revista MAGNUM!

MAGNUM é uma Revista dedicada ao universo das Armas de Fogo. Aborda Colecionismo, Tiro Esportivo, Munições, Recarga, Balística e Legislação pertinente ao assunto. Além de abordar Arqueiria, Caça, Cutelaria, promover entrevistas com pessoas ligadas a cada um desses setores e cobrir lançamentos de novos produtos - no Brasil e no mundo -, buscando estimular seus Leitores ao trânsito saudável, consciente e responsável através desses temas.

Confira abaixo 5 Edições Completas para Assinantes MAGNUM

Edição Especial - Ed. 37 - Revólveres 3 - Out / Nov 2009

blog post image

Editorial

Coincidência ou não, Ruger e Rossi começam com a mesma letra - mas as ''coincidências'' não param por aqui: tanto um quanto o outro conseguiram projeção internacional em função de suas qualidades, reconhecidas nos EUA e na Europa.

Rossi, para nós brasileiros, praticamente dispensa apresentações, já que quem teve (ou tem) um bem sabe do que ele é capaz.

Quando a Rossi foi adquirida pelas Forjas Taurus, muitos acharam que a produção dos excelentes revólveres iria cessar - o que de certo modo aconteceu, mas somente para nosso País, já que ele continua sendo produzido para propósitos de exportação e, também, sendo ainda um dos ícones dos mercados internacionais - e desde os tempos em que armas brasileiras eram vistas lá fora sob certa óptica de desconfiança (o que acontece até hoje com algumas produzidas na China). Hoje, gozando de merecida fama e credibilidade, os produtos da Rossi se destacam dentre tantos outros concorrentes.

E, quanto aos Rugers, o que se pode afirmar? Ora, quaisquer criações do recentemente falecido Bill Ruger têm e sempre terão a receptividade oriunda da qualidade que sempre revestiu os produtos da famosa Fabricante norteamericana, sejam eles Pistolas, Armas Longas ou - como é o caso por aqui - Revólveres. Como principal característica os revólveres Ruger apresentam o que os estadunidenses chamam de “ruggedness”, ou seja, capacidade de agüentar “castigo” e manter seus índices de precisão e confiabilidade que tanto os ajudaram a ser considerados entre os melhores do mundo, ao lado de Colt, Smith & Wesson, Dan Wesson e tantos outros.

Nesta Edição Especial, exclusiva para os seguidores de MAGNUM, decidimos enfocar estas duas marcas por diversas razões que passam por Qualidade e Desempenho - e o Leitor verá, no transcorrer da leitura, que o que afirmamos por aqui não é “propaganda”; e sim o espelho do nível das armas apresentadas!

Boa leitura!

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Revista Magnum Edição 130

blog post image

Editorial

MAGNUM: TRINTA ANOS FIRME CONTRA A RENDIÇÃO

Muito se tem escrito a respeito da natureza do empreendedorismo. Evidentemente, o ponto focal do debate acaba por ser a tentativa de definir as características de personalidade que costumam levar determinado indivíduo a ser empreendedor. Dessas, tenho para mim que a pertinácia é a mais importante. Sem vontade firme, não há liderança e, por conseguinte, não podem ocorrer os fenômenos sociais que costumam transformar a humanidade. O empreendedor é sempre um líder transformador. A capacidade de estabelecer com clareza um objetivo de valor social, seja econômico ou filantrópico, e de lutar sem descanso e sem concessões por sua consecução, sejam quais forem os óbices postos no caminho, é, a meu ver, o valor mais relevante do espírito do empreendedor.

Pertinácia, em meu entendimento, é a qualidade mais conspícua dos idealizadores e dos atuais editores da revista Magnum. Pois, desde a fase prospectiva da publicação, tiveram de vencer as pressões, crescentes e cada vez mais poderosas, do dispositivo político dito politicamente correto montado no Brasil para destruir o tutano da Nação, sob a alegação de que era intolerável haver qualquer arma de fogo em mãos de cidadãos comuns, e mesmo de defensores da lei fora de situação de estrito serviço, pois isso violaria os princípios da cultura de paz, suposta pedra filosofal, suposta mágica poção contra a violência do ser humano.

Alguns poderiam dizer que o argumento não se aplica, pois Magnum é uma publicação eminentemente técnica, não um baluarte de militância pela legítima defesa, a favor do tiro desportivo ou pró-caça, ou ainda uma publicação para colecionadores. Discordo. Por técnica que seja a revista - e efetivamente o é - o propósito da Magnum não é servir, apenas, aos profissionais das categorias do serviço público dotadas de autorização legal para possuir e portar armas de fogo por razões de ordem funcional. O objetivo dela é contribuir para a formação de uma cultura de armas no Brasil, preservando, destarte, em última análise, o espírito combativo nacional. Trata-se de valor imaterial absolutamente necessário aos interesses da Pátria, que se cultiva, sim, nas Forças Militares, mas nelas não se pode esgotar, visto ser impossível que todos os cidadãos brasileiros pertençam aos quadros castrenses ou, ao menos, recebam, em alguma parte de suas vidas, treinamento militar, tanto em sentido estrito como em sua acepção de instilação de princípios de patriotismo armado.

Ademais, basta examinar-se os arquivos para constatar-se que, desde a gênese da publicação, época em que já se apresentavam ameaças primordiais contra o direito às armas, os idealizadores da Magnum formaram, irretorquivelmente, com os que lutavam pelo direito das pessoas de bem à legítima defesa. Prova cabal disso é o editorial da edição inaugural da revista, de julho de 1986 (página 3), reforçado, às páginas 8 e 9, por matéria jurídica elucidativa a respeito do instituto da legítima defesa na legislação brasileira, de autoria de Cid Vieira de Souza Filho.

Na época da tramitação do projeto que se converteu na lei federal nº 9.437/1997 (o primeiro estatuto do desarmamento, se bem que assim não fosse chamado), a posição editorial da Magnum pautou-se contra a iniciativa, o que se repetiu, ainda com maior combatividade, na época de tramitação do projeto de lei que resultou na atual draconiana lei 10.826/2003 e, principalmente, na vitoriosa campanha do Referendo de 2005.

O fato é que a publicação sempre sofreu, por causa de sua clara posição a favor das pessoas de bem, uma solerte campanha das poderosas forças desarmamentistas, encasteladas no governo central, no Legislativo, no Judiciário e na grande mídia. No ventre dessa campanha, a tática nuclear é sufocar a revista, por meio da supressão do indispensável oxigênio financeiro. Isso se faz pelo método habitual: a demonização das armas de fogo, que enfraquece todas as iniciativas empresariais na área, seja no segmento da indústria ou dos serviços, impedindo a formação de um vigoroso mercado civil. E, por corolário, cortando o fluxo de receita publicitária para a revista.

Teria vida fácil a Magnum se, desde o início de sua trajetória, a par de demonstrar sua excelência técnica, encampasse a tese de que armas de fogo, produzidas no Brasil ou importadas, devem ser destinadas exclusivamente aos arsenais policiais e militares e, quando muito, à posse individual dos membros de tais instituições e de outras carreiras de Estado, conforme as respectivas necessidades funcionais. Haveria poucos leitores entre os cidadãos comuns, ou, no máximo uma legião frustrada deles. Mas fluiriam as verbas fáceis e fartas das empresas estatais e sociedades de economia mista, notadamente da União. Em cada edição, ver-se-iam páginas e páginas de publicidade delas, pagas a bom preço. Não haveria crise. A periodicidade mensal, tão desejada, estaria assegurada. O sucesso editorial, garantido. Sucesso de Fausto, a preço de alma imortal, pois o maligno sempre acaba por cobrar a fatura.

Os idealizadores de Magnum, seus sucessores e colaboradores, há trinta anos, recusam vender suas almas. Pagam o preço do cansaço, do desalento e da incompreensão. Não obstante, seguem em marcha. Somente a pertinácia própria dos bons empreendedores mantém-nos na liça, a travar, sem temor e sem repouso, o Bom Combate.

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Edição Especial - Ed. 25 - Caça e Conservação - Jul / Ago 2003

blog post image

Editorial

A caça esportiva no Brasil e o futuro

No momento em que uma nova temporada de caça amadorista inicia-se no Estado do Reio Grande do Sul, nós da Editora Magnum, buscando resgatar a tradição deste esporte com milhares de adeptos em todo nosso país, trazemos a nossos leitores uma edição especial: a Magnum Caça & Conservação.

Para isto estão reunidos nas páginas desta edição alguns dos mais respeitados nomes do panorama cinergético nacional. As bem sucedidas experiências de caça amadora em países como Estados Unidos, Canadá, toda a Europa, China, Argentina, Uruguai, países da África, etc. Mostram que esta prática, quando cientificamente orientada e devidamente manejada e administrada, é uma atividade humana como qualquer outras, movimentando um imenso mercado de apetrechos de caça, de consumo de carne de caça, de turismo cinergético, etc...

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Edição 14 - Ano 3 - Janeiro/Fevereiro/Março 1989

blog post image

Editorial

Instrumentos Femininos?

Como todos sabem, o papel da mulher em importantes decisões na moderna sociedade está – felizmente – se acentuando.

Aqui e acolá, a presença feminina se faz sentir em importantes cargos públicos ou em empresas.

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line

Edição Especial - Ed. 53 - Testes comparativos

blog post image

Editorial

Como já foi expresso em Edições anteriores, pistolas (ou, simplesmente, Pst, de acordo com a nomenclatura do Exército Brasileiro por aqui adotada como válida em termos de padrão) são, de longe, um dos assuntos preferidos de nossos Leitores. Desse modo, nada mais natural do que trazermos a público mais um Especial sobre essas obras de Engenharia que têm o condão de agradar a quase todos - mesmo àqueles que gostam preferivelmente de Armas Longas e consideram tais artefatos ora elencados apenas como complementares a uma paixão geral por Armas de Fogo.

Seja pela maior capacidade de munição, seja pelas importantes soluções nelas contidas, as pistolas continuarão a ser interessantes e funcionais conjuntos de peças as quais desempenham funções diferenciadas, mas que concorrem para um final comum: fazer com que tudo trabalhe com harmonia para que se alcance o resultado desejado - seja ele a prática do Esporte, o propósito de Defesa pessoal ou de outrem e, ainda, uma das ferramentas mais importantes para o trabalho policial, havendo inclusive quem as utilize para a Caça.

Dotadas de cano aparente ou coberto pelo ferrolho, com ou sem cão, de ação simples ou dupla, apresentando miras fixas ou reguláveis, carregadores duplos ou simples e fabricadas em inúmeros calibres, pistolas são praticamente uma unanimidade quando se busca velocidade de atuação - principalmente quando se visa à preservação de uma vida.

Devido ao exposto, desta vez resolvemos enfocar, entre várias peças, alguns “monstros sagrados” de grande importância (não só pela mecânica neles embutida, mas também enfatizando o aspecto histórico); e um grande exemplo disso é a Mauser C-96 e suas variantes, além de sua distinta “irmã” Schnellfeuer. E, ainda dentro da clássica inventiva germânica, analisamos as pistolas Walther PP, PPK e PPK-S, também dignos exemplos de excelentes projetos.

Decidimos, também, anexar uma matéria comparativa entre famosas marcas e alguns de seus modelos que “calçam” o imorredouro calibre .45 ACP (SIG-Sauer P220, a Glock Modelo 21 e a Ruger P90 DC), praticamente em continuidade à homenagem que fizemos à Pst Colt 1911 - a qual mereceu um Especial totalmente a ela dedicado e primorosamente elaborado por Lincoln Tendler, no início de 2012, visando comemorar os 100 anos dessa obra-prima de John Moses Browning que se destaca entre tantos outros projetos do famoso Armeiro - posto ser até hoje uma das Armas Curtas de maior vendagem em todo mundo: copiada, com ou sem licença por muitos Fabricantes, ela deverá ter continuidade por, no mínimo, mais um século!

Edição Completa
Edição Completa
Assine a Revista Magnum On-Line